Subscreva

Cum sociis natoque penatibus et magnis
[contact-form-7 id="1210" html_class="cf7_custom_style_1"]

Subscribe elementum semper nisi. Aenean vulputate eleifend tellus. Aenean leo ligula, porttitor eu, consequat vitae eleifend ac, enim. Aenean vulputate eleifend tellus.

[contact-form-7 id="984" html_class="cf7_custom_style_1"]

O Homem Que Plantava Árvores – Paginação que nos aquece o coração

Se há uma coisa que nos aquece o coração e nos deixa de sorriso na cara é fazer paginação de livros, principalmente quando podemos pensar no objecto todo e ainda fazer ilustração. Quando a Cultura Editora nos convidou para ilustrar e paginar mais um livro, a nossa resposta foi um sim quase gritado, de tanto entusiasmo. O livro chama-se “O Homem Que Plantava Árvores” e é um conto clássico dos anos 50, sobre um homem que depois de perder tudo na vida, decide dedicar a sua vida a transformar um deserto numa floresta. É uma história marcante que nos emocionou e inspirou, tornando todo este processo de dar forma ao livro, algo ainda mais entusiasmante.

Como sabem, nós começamos sempre o processo de trabalho no papel, principalmente trabalho de design de ilustração. Gostamos de sentir que não há limites nas ferramentas que usamos, quando tudo o que precisamos é papel e lápis, não existem limites. No caso deste livro, explorámos muitos materiais diferentes até percebermos que queríamos que se sentisse a manualidade do processo. Escolhemos barras de carvão muito suaves, que sujassem papel texturado. Queríamos que tal como Elzéard, a personagem principal do livro, que plantava manualmente bolota a bolota, que também nas ilustrações se sentisse que cada uma foi feita manualmente, com imperfeições, texturas e a expressão do carvão no papel. Eu diria que passámos mais tempo no papel do que no computador.

5 blocos grandes de folhas e 6 barras de carvão depois, chegámos a um registo que fazia sentido com esta história. E tal como o deserto do livro que passou a ser uma floresta, também o nosso livro ganhou forma. O texto não era muito longo mas a meta de páginas era, por isso tivemos de tomar algumas opções estratégicas na paginação. Encarámos o todo como um livro de contos ilustrado, com uma fonte um bocadinho maior do que o normal e com muito espaço para os nossos olhos descansarem e terem tempo para absorver todas as palavras. Quase todas as páginas têm apontamentos de ilustração, algumas literais, outras decorativas mas todas dentro deste imaginário que criámos, baseado na história bonita do Jean Giono.

O resultado final deixa-nos com o mesmo sorriso de quando arrancamos o projecto. Estamos muito orgulhosos deste pequeno livro cheio de personalidade. Se o encontrarem numa papelaria, peguem nele, folheiem-no com calma e digam-nos o que acham. 🙂

Tenham uma boa semana, pessoas bonitas <3

Written by:

Designer, photographer, musician and dog lover.

Leave a comment