Subscreva

Cum sociis natoque penatibus et magnis
[contact-form-7 id="1210" html_class="cf7_custom_style_1"]

Subscribe elementum semper nisi. Aenean vulputate eleifend tellus. Aenean leo ligula, porttitor eu, consequat vitae eleifend ac, enim. Aenean vulputate eleifend tellus.

[contact-form-7 id="984" html_class="cf7_custom_style_1"]

Preparar, desenhar e decorar um casamento!

Há algum tempo atrás, escrevi um post aqui no blog sobre casamentos. Falei daquilo que não entendo nos casamentos que se fazem por cá, o facto de serem todos uma sequência de momentos, iguais a todos os outros. Não me entendam mal, não escrevo isto em tom de crítica, até porque acho que, na verdade, a maior parte das pessoas ainda não parou sequer para pensar que o dia pode e deve ser o que elas quiserem!

Hoje vimos mostrar-vos um cheirinho dos últimos dias. Fomos padrinhos de casamento da Rita e do Pedro, e como padrinhos não poderíamos ter um presente melhor para eles. Ajudar em tudo, desde o início, para que este dia fosse lindo, leve, divertido e, mais importante ainda, fosse a cara deles.

Fomos para Armamar já na sexta de manhã, de malas e coração cheio. A quinta é só mesmo isso, uma quinta bonita, não uma quinta de casamentos, e por isso tivemos de pensar em tudo o que nos faria falta para levar e organizar. Alugaram-se mesas, cadeiras e luzes, levaram-se flores, comprou-se a loiça e escolheu-se a dedo a pessoa que iria ser responsável pelo catering. A cabeça não parou, tivemos alguns contratempos mas o facto de termos feito tudo assim fez deste casamento um dia muito, muito especial.

Os trabalhos foram distribuídos e o casamento foi mesmo feito pelas mãos de família e amigos. Eu tive a sorte de poder decorar uma quinta bonita e quase todas as mãos presentes colocaram tudo no sítio, incluíndo mesas, cadeiras, flores e balões, e ajudaram nas horas dos imprevistos, porque eles acontecem sempre!

Queríamos uma festa bonita, no meio do verde que tínhamos à nossa volta. Normalmente pagamos um serviço numa quinta mas depois metemo-nos todos dentro de uma sala com luzes brancas. Se os nórdicos, que levam com aquele frio à séria, vissem as asneiras que fazemos, mesmo com este tempo maravilhoso que temos, achariam-nos muito totós :p

Não houve medo do frio, não se pensou que as pessoas mais velhas fossem sentir desconforto por estarem a jantar cá fora, não se contrataram fotógrafos nem se arrastou um estranho para fazer a cerimónia. Os noivos trocaram votos a sério, escritos por eles de propósito para nos porem a chorar baba e ranho. Os padrinhos e os pais falaram, os amigos e o pai da noiva cantaram, a nossa Joana dirigiu a cerimónia e posso dizer-vos que este foi o casamento mais bonito que já vi. Chorámos e rimos muito, foi tudo tão honesto e genuíno que o que mais senti foi orgulho nestes nossos amigos que casaram assim.

Queremos e vamos mostrar-vos mais sobre este dia. Agora o Fred vai editar o vídeo bonito e precisamos também das fotografias editadas. Com este post queria mesmo deixar o bichinho a quem quer casar. Não há regras, não há impossíveis e vocês podem e devem mesmo fazer aquilo que quiserem sem pensarem no que os amigos fizeram no ano anterior.

Posso dizer-vos também que nada disto ficou mais caro do que um casamento comum, só deu muito mais trabalho, mas também nos deu uma satisfação enorme ver tudo a acontecer, e divertimo-nos muito nestas horas que ali passámos.

Mal podemos esperar para mostrar-vos mais coisas bonitas! 🙂

 

Comments

  • Vânia

    Reply

    O casamento que mais me marcou até hoje foi o da Aurora, uma amiga do coração, daquelas que são família. Não havia dinheiro, mas havia amor, a família e os amigos, e uma vontade muito grande deles os dois de darem o nó. Fizemos a decoração, preparámos a animação musical, cada um levou algo que comer e/ou beber, preparámos o espaço e no fim ficámos até às tantas a alimpar a arrumar tudo. Foi deles, mas fez muito mais sentido porque todos contribuimos, todos fizemos parte. E vivemos todos aquele dia com o coração muito cheio e os afetos á flor da pele. Não houve requinte, mas marcou-me muito mais do que qualquer um dos outros. 🙂

    Junho 13, 2017
  • Ana costa dias

    Reply

    Raquel, ao ler o post não poderia identificar-me mais. Há 2 anos que tento organizar a minha festa de casamento mas parece impossível, as quintas que normalmente se alugam não são de todo o meu género, procurei mesas e cadeiras mas só há as típicas redondas e cheias de adornos e o catering (nossa senhora!!!). É exactamente assim que imagino o meu: família, amigos, ar livre, decoração simples com bom gosto e muito, muito amor.
    Parabéns!
    Um beijinho

    Junho 13, 2017
    • Raquel Graça

      Reply

      Ana, se é assim não desistas!
      Se precisares de alguma coisa escreve-nos um mail.

      beijinhos!

      Julho 10, 2017
  • Francisca

    Reply

    uau! Simples, bonito e no meio da natureza, tal como quero fazer o meu.
    Beijinhos grandes.

    https://bloomblogue.blogspot.pt

    Junho 15, 2017
  • Ana Oliveira

    Reply

    Que lugar tão bonito! Essa quinta está disponível para aluguer para casamentos ou foi só mesmo uma excepção para este? Estou tão apaixonada pela simplicidade desse espaço que já não consigo tirar os olhos das fotografias!

    Beijinhos
    Ana

    Junho 28, 2017
    • Raquel Graça

      Reply

      Ana,
      desculpa pela demora na resposta! A quinta não costuma ter casamentos, acredito que tenha sido até o primeiro, mas como correu bem acho que estará disponível para receber mais. Se quiseres saber mais coisas manda-nos mail e conto-te tudo 🙂

      beijinhos!

      Julho 10, 2017

Leave a comment