Subscreva

Cum sociis natoque penatibus et magnis
[contact-form-7 id="1210" html_class="cf7_custom_style_1"]

Subscribe elementum semper nisi. Aenean vulputate eleifend tellus. Aenean leo ligula, porttitor eu, consequat vitae eleifend ac, enim. Aenean vulputate eleifend tellus.

[contact-form-7 id="984" html_class="cf7_custom_style_1"]

Pinterest, Instagram, Facebook ou Blog?

No título deste post estão só algumas das redes sociais que por aí andam, talvez as mais usadas cá em Portugal, existem muitas mais e é difícil imaginar o tempo necessário para alimentar cada uma delas. Por este motivo, é natural que a escolha caia naquelas que nos exigem menos esforço, e com as quais simpatizamos mais, e com isto vamos deixando outras para trás.
São algumas as pessoas que vão abandonando os blogs e se vão fixando numa outra rede, e hoje queremos dizer-vos porquê que não devem fazer isso, e porquê que devem continuar a alimentar o amor pelo vosso blog, sem nunca deixar que a chama se apague 🙂

Antes de avançarmos queremos dizer que este post se destina aos que têm um negócio online, ou aos que querem que esta presença seja uma espécie de cartão de visita. Se usarem as redes sem qualquer tipo de objectivo profissional, esforcem-se só por não se colocarem em posições embaraçosas, porque os vossos colegas de trabalho, ou futuros empregadores, podem chegar lá, e porque o que está na internet jamais desaparecerá. fora isso, esqueçam as regras e divirtam-se!

INSTAGRAM
Nós somos fãs da rede, isso nota-se em muitos dos nossos posts de inspiração. Estamos por lá todos os dias e sabemos que é um doce para os olhinhos, e que de facto é muito simples e rápida, daí haver tanta gente por ali. No entanto, a rede está a ficar cada vez menos simpática para os utilizadores, por motivos que se prendem com o negócio que ela é.
Se vocês seguem 500 pessoas, só recebem no vosso feed uma pequena percentagem deste número*, e isto acontece porque a possibilidade de termos posts pagos na rede já acontece e, esses sim, chegam a mais pessoas. Nós somos fãs do Instagram, percebemos que tem de ser um negócio para a equipa, mas saber que decidem quem vemos chateia-nos um bocadinho.
Com isto podem concluir que só uma pequena parte dos vossos seguidores recebe o que vocês publicam,  e que apesar de alguns ainda poderem ir directamente ao vosso perfil, outros acabam mesmo por esquecer o vosso nome.

*acerca disto surgiu uma petição para tentar inverter a situação.

PINTEREST
O Pinterest é um brinquedo cá em casa. Parece que a cada Pin que fazemos guardamos mesmo as coisas para nós, são nossas e já ninguém nos tira nada. Passear pela rede é um mimo, vemos coisas que adoramos e é fácil passar ali muito tempo. Mas se o Pinterest também começou por ser uma rede simpática, na qual podíamos guardar coisas e ver as inspirações dos nossos amigos, agora já é um bocadinho diferente. Os pins “selecionados para ti” apareceram, e já entendemos que há ali alguém a mandar-nos as coisas que devemos ver, e que são substituídas por aquelas que escolhemos ver quando decidimos seguir alguém.
A conclusão é a mesma que tiramos no Instagram, os nossos pins estão ali, no entanto quem nos segue pode não os receber no feed. Além disso é uma rede onde a imagem vale mais do que qualquer palavra, e por isso não há ali muito espaço para falarmos e expormos ideias.

FACEBOOK
Esta é a rede mais popular em Portugal, a tia e a avó já lá estão, por isso não falta ninguém.
E aqui é onde o negócio é maior. É preciso pagar bem para que muita gente veja o que temos para mostrar, e as coisas a acontecer são tantas que rapidamente fica lá para trás o que dissemos. Aqui o que tem importância é o momento onde estamos, e já ninguém liga ao que foi publicado há um mês atrás. Por tudo isto é uma boa rede para canalizar, no momento, pessoas para outro local.

BLOG
As redes sociais são importantes, esforcem-se para tirar o maior partido delas, porque podem chegar a muita gente e ter uma voz activa sobre uma série de coisas. Mas esta presença, num local onde tudo está em permanente mudança, onde toda a gente conversa, vive com demasiado ruído, e por isso mesmo queremos vir dizer-vos que o blog continua a ser o local certo, onde vocês devem aplicar as vossas energias e onde devem deixar sempre bons conteúdos.

Os blogs, independentemente da plataforma onde são feitos, não nos pedem dinheiro para mostrar aquilo que ali escrevemos. São organizados e construídos por nós, nada desaparece, todos os conteúdos podem ter importância mesmo quando passa muito tempo e, o melhor de tudo, somos nós quem tratamos disto sem influência de terceiros.

O conteúdo antigo continua bem guardado e arrumado, e como o SEO funciona muito melhor e continua a dar frutos. Podemos dizer-vos, por exemplo, que um dos nossos posts mais vistos de sempre, apesar de antigo, continua a trazer pessoas ao blog, e conta com mais de 13000 visitas, apesar de ser sobre o Desculpas há muitas, que já acabou há muito tempo.

Aqui vocês têm todo o espaço que precisam para escrever, publicar fotografias, vídeos, e conversar com quem vos segue. Se entregarem o link a alguém sabem que vão dar acesso a uma página criada e cuidada por vocês, onde tem destaque aquilo que vocês querem que tenha. Para além disso, e voltando ao assunto do SEO, todas as palavrinhas bem usadas aqui servem para que, em pesquisas, mais leitores vos encontrem e assim a vossa presença online está sempre a ser melhorada.

Concluindo, usem as redes sempre! Saibam como tirar o maior partido delas, e usem-nas para levar mais pessoas para os vossos blogs, onde está de facto tudo aquilo que vocês sabem fazer 🙂
Alguém por aí já pensou em desistir do blog? E, se sim, porquê?

Comments

  • Concordo muito com o facto de o blogger ser ainda o sítio certo para se estar. Por absurdo que pareça, é aqui que eu me sinto "mais Inês" porque posso expôr fotos que amo e juntar-lge descrições e pensamentos meus, sem ter algum receio do público a quem falo. É intimista e faz-me sentir confortável quando expresso a minha opinião.
    Belo post!

    Março 23, 2016
    • obrigada Inês 🙂
      e é engraçado porque o tempo passa, anos e anos, e ele não desaparece, continuamos a gostar de estar cá.

      Março 24, 2016
  • Como só me sinto verdadeiramente em casa no meu blog, por poder partilhar tudo sem restrições e de forma personalizada, confesso que descuro muito das outras redes sociais, das quais pareço estar cada vez menos ligada. [Embora reconheça que é através delas, facebook principalmente, que me visitam.]
    Se já pensei em desistir do blog? Sim, imensas vezes. Ou porque não tenho tempo, porque ando cada vez mais desprendida da internet no geral, ou ainda porque acho que já existem tantos blogs bons que o meu não faz cá falta. Mas depois, há sempre aquele momento de querer partilhar algo, e cedo à tentação 🙂

    Obrigada pela vossa inspiração*
    Parmim

    Março 23, 2016
    • Também há, por cá momentos em que é preciso deixar a internet mais longe, não sentimos isso aqui no blog, porque é o nosso trabalho, mas sentimos com as outras redes. Há que encontrar um equilíbrio e, acima de tudo, respeitar a nossa energia e a nossa vontade 😉

      Março 24, 2016
  • Não tinha visto as redes sociais desse prisma é tão verdade! Estão todas feitas para nós sacarem dinheiri enquanto que no blog e o oposto, até podemos ganhar dinheiro com ele. E o que pensam do YouTube? Já que falam em CEO, era giro fazerem um post sobre o assunto, se ainda não o fizeram.

    Há tive tantos blogs que fui desistindo ao longo do tempo, incluindo fotolog (o instagram dos dias de hoje) e livejournal, que já não me consigo ver sem um blog, a minha casa digital onde já fiz tantas amizades bonitas.

    Março 23, 2016
    • Vamos fazer sim, Marta 🙂
      E podemos falar também sobre o youtube, esse está um bocadinho mais a par com o blog, apesar de estarmos limitados ao formato vídeo. No entanto, podemos ter um canal, as pessoas visitam-nos e não perdem conteúdo. No youtube faz-se dinheiro de outra forma, a rede vai sendo financiada pelas publicidades que aparecem no início dos vídeos, e por isso não entram neste esquema de feed com percentagens pequenas como o facebook ou instagram, o que já é um ponto positivo 🙂

      Março 24, 2016
  • Totalmente de acordo com este post! E vem na melhor altura possível, já que acabei de relançar o meu blog ;).
    Estive afastada do meu blog uns tempos, porque achei que as redes sociais o podiam substituir, mas aconteceu precisamente o inverso… mesmo nas redes sociais, caíram a pique as minhas visualizações.
    Mas agora estou de volta 😉 e em super força!
    Obrigada pelo blog, é mesmo muito muito bom!

    Março 24, 2016
  • Obrigada pelo post! Às vezes tenho pena que as coisas sejam assim tão trabalhadas… Será que poderiam falar sobre a hipótese de os bloggers terem o seu próprio site na net (.net, .com) em vez de usarem plataformas como wordpress, blogger… O que pensam sobre isto? Tenho andado a pesquisar sobre o assunto mas acho que há tanta informação que me sinto muito confusa!
    Obrigada

    Abril 2, 2016

Leave a comment